Como Educar Seu Filho Para Lidar Com Dinheiro

Muitos clientes me perguntam correntemente sobre como falar de dinheiro com seus filhos. A maioria dos pais não sabe dizer “não” aos desejos dos pequenos, ou seja, como lidar com a situação. Ao agir assim, pensam estar contribuindo para a formação de um caráter conquistador, no sentido de que crianças e adolescentes vão crescer com a ideia de que são capazes de conseguir tudo que quiserem. Nada mais equivocado. Inclusive, já tratamos sobre como educar os filhos a respeito do dinheiro no artigo Aprenda a Falar de Dinheiro Com Crianças, que pode ser uma fonte complementar de informações ao presente texto.

Se for pai, certamente lhe será muito útil.

De nada adianta você ser um grande empreendedor e não saber repassar seus conhecimentos para os seus filhos. Os negócios serão deles um dia, portanto, quanto mais rápido lhes ensinar sobre educação financeira, mais cedo terão sucesso também.

Resolvi falar sobre este tema porque muitos clientes me perguntam correntemente sobre como falar de dinheiro com seus filhos. A maioria dos pais não sabe dizer “não” aos desejos dos pequenos, ou seja, como lidar com a situação. Ao agir assim, pensam estar contribuindo para a formação de um caráter conquistador, no sentido de que crianças e adolescentes vão crescer com a ideia de que são capazes de conseguir tudo que quiserem. Nada mais equivocado.

Muitas vezes eles vêm com pedidos como “me compra um videogame novo?”, “eu quero uma viagem para a Disney!”, “posso ter tênis que acendem?”. Parece que nunca tem fim! Mas, quem pode culpá-los? Alguns estudos mostram que as crianças veem mais de 25 mil anúncios por ano, e isso só na televisão. Se você se lembrar da Internet, outdoors, anúncios subliminares em filmes, e a pressão para ter o mesmo material dos amigos da escola, chegará à conclusão que seus filhos são bombardeados com a mensagem de que eles precisam ter tudo. Haja dinheiro!!

Ensinar nossos filhos enquanto crianças o valor do dinheiro vai poupá-los de todo tipo de frustração relativamente aos problemas financeiros que eventualmente tiverem pela vida.

Para ajuda-lo nessa difícil tarefa, elaborei cinco maneiras de desenvolver sólidas habilidades de comunicação financeira com as crianças, de forma a manter o seu orçamento intacto, simplesmente aprendendo a dizer não.

1 – Ajude-os a resolver as suas “necessidades” e “desejos”.

Sente-se com seu filho e faça com ele duas listas: uma para os itens necessários e realmente importantes, tais como roupas, material escolar, e sapatos. A outra lista será composta por supérfluos, como brinquedos, passeios, cinemas, etc. Converse com seu filho sobre como essas listas são diferentes. Ensine-o sobre necessidades e luxos. Por exemplo, você pode fazê-lo notar que não pode ir à escola sem sapatos, mas você pode ir para a escola sem uma mochila nova, já que a outra ainda está em ótimo estado.

Diga ao seu filho que a lista dos supérfluos pode servir como uma lista de desejos para o aniversário ou outra data festiva no ano.

2 – Quando você diz “não”, deve significar não.

As crianças são muito inteligentes e espertas. Elas têm uma grande facilidade para perceber que são capazes de conseguir o que querem se te aborrecerem o suficiente. Vão tentar vencê-lo pelo cansaço. Faça com que seu filho saiba que uma vez dito não, nada no mundo o fará mudar de ideia. As crianças devem entender que não são elas que tomam as decisões financeiras. Lembre-se que o não faz parte da educação e mantenha-se firme na sua posição.

3 – Aprenda a dizer “não” mais rápido que “sim”.

O mundo atual vem ensinando às crianças que elas devem ser extremamente impacientes. Ensine seu filho o valor da recompensa adiada. Tudo que vem fácil não tem valor algum. Tão logo ele tenha conseguido o atual objeto de desejo, colocará seu foco em outra coisa (para você gastar mais dinheiro). E você verá que o que era tão cobiçado simplesmente “perdeu a graça”.

Se seu filho está implorando por uma nova bicicleta, um celular novo, um novo leitor de MP3, ajude-o a montar um plano de poupança para isso. Fale sobre como economiza para comprar as suas coisas e como é bom saber que pode comprá-las.

Se não ensiná-lo a valorizar tudo que tem, jamais aprenderá a dar valor ao seu esforço.

4 – Crie uma maneira de recompensar seu filho por trabalhos executados em casa.

Você deve ensinar seu filho que o dinheiro não vem de graça para ninguém. Dinheiro não nasce em árvore. Não tenha medo de determinar trabalho duro para então dar acesso à remuneração combinada. Se não aprender a educa-lo com amor o mundo o fará, e você sabe o quanto as coisas lá fora são difíceis. Ensine a importância do trabalho para que seja possível adquirir coisas. O esforço dará à recompensa um sabor maravilhoso. Você verá que quando o seu filho é pago por algo que resolveu por conta própria ele vai apreciar e cuidar muito mais do dinheiro, sobretudo, como gastá-lo sabiamente.

Incutir a mentalidade do “ganhar antes de gastar” trará imensos benefícios para o seu filho a longo prazo.

5 – Ensine seu filho o prazer de poupar.

Sempre que o seu filho receber algum dinheiro, ensine-o a dividi-lo em três partes iguais: uma para gastar, uma para guardar, e a última para investir. Pode parecer prematura para alguns a ideia de ensinar o seu filho a investir. Mas, a prática mostra que quanto mais cedo for apresentado esse conceito para os filhos, melhores gestores da própria vida serão no futuro.

Ensine-os a não depender de ajudas sociais, e que é deles a responsabilidade de guardar para a aposentadoria. Mostre que saber investir é importante para que o dinheiro trabalhe por eles e assim se multiplique. É claro que deve agir com bom senso, de forma a introduzir o conhecimento conforme a maturidade da criança. Crie exemplos que lhe sejam adequados à idade, de forma a fazer o aprendizado divertido e com gostinho de “aventura”.

Por fim, ensine o seu filho a gerir o próprio orçamento. Ensine-o a planejar, de forma a fazer com que os seus ganhos sejam suficientes para cobrir, dentro do possível, as suas despesas.

Ao seguir todas essas dicas, vai perceber que seu filho será muito mais comedido ao lhe pedir dinheiro e responsável com os próprios gastos. Por outro lado, se sentirá sempre motivado ao olhar para suas próprias finanças sempre a crescerem, fruto do seus próprios esforços.

Não importa quantos anos seu(s) filho(s) tenha(m), você pode dar um grande impulso em seu(s) futuro(s) financeiro(s) se agir de forma pedagógica agora. E certamente, o sucesso deles lhe trará imensa satisfação pessoal. Nada terá mais valor que isso.

—xx—

Gostou do artigo?

Esta é uma pequena amostra do que há no livro Abandone a Zona de Conforto: Aproveite as Oportunidades, Seja Próspero, Livre e Feliz!.

Para saber mais detalhes, clique na imagem.AbandoneAZonaDeConforto-Reduzida-MDNSB

 

Cláudio Corgozinho

Advogado, Conferencista Internacional, Facilitador em Treinamentos Empresariais, Empresário, Escritor, Life, Executive & Professional Coach, Problogger, idealizador do Mais Dinheiro No Seu Bolso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *